terça-feira, 13 de junho de 2017

Temer mata o PSDB a golpes de Aécio Neves

Sanguessugado do Tijolaço

 Fernando Brito

entranhas

Quando veio à tona a gravação do ex-senador Sérgio Machado dizendo a Romero Jucá que “o primeiro a ser comido” seria Aécio Neves, muitos não percebemos que ali estava uma profecia.

Procure-se nela uma razão para a aparente incongruência do noivado tucano com o afundante Temer e se encontrarão razões do PSDB como as que Andrei Meireles, no site Os Divergentes, expõe, sem meias-palavras:

“Sempre souberam que jogar Michel Temer ao mar afogava antes Aécio Neves.
É aí que mora o perigo para o ninho inteiro.
Aécio não é apenas o político simpático, bem articulado, bom de voto, que quase se elegeu presidente da República.
Nas delações da Odebrecht, de outros grandes empreiteiros, e dos donos da Friboi, Aécio é descrito com apetite voraz por dinheiro. Muito dinheiro.
Como quem parte e reparte, deve ter ficado com alguma parte.
Mas, em um raro consenso entre políticos e investigadores, Aécio é identificado como um grande arrecadador para campanhas de aliados em Minas Gerais e no país afora. Nas mais variadas eleições.
Em todos os caixas: 1, 2, 3….
Acuado, ele agora está cobrando a conta. Quem, na reunião em que o PSDB bateu o martelo do “fico” no governo Temer, poderia atirar alguma pedra?
Os tucanos tentaram jogá-la com a mão alheia da Justiça Eleitoral.
Não deu certo.
Simples assim.”

Tristemente, vê-se que as palavras de uma outra gravação, esta na voz do próprio playgangster, não pode ser levadas à conta de simples piada: “tem que ser um que a gente manda matar antes de ele fazer a delação“.


Pois não é que morreram os tucanos, pela mão de Aécio e Temer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.