sábado, 19 de abril de 2014

Liberdade de Expressão: O governo Obama leva o Prêmio Mordaça.

Sanguessugado do Olhar o Mundo

Luiz Eça

O Centro Thomas Jefferson Para Proteção da Livre Expressão é uma organização de jornalistas americanos cujo objetivo está explícito no seu próprio nome.

Desde 1992, no mês de abril, ele elege os merecedores do ano do Prêmio Mordaça Jefferson, como “um meio para chamar a atenção nacional para o cerceamento da liberdade de palavra e da imprensa e, ao mesmo tempo, promover a valorização dos princípios da Primeira Emenda”.

A Primeira Emenda da Constituição dos EUA versa sobre liberdades, inclusive de imprensa.

Os “vencedores” do Prêmio Mordaça, melhor diria, os “perdedores”, são as entidades que mais se destacam na violação dessas liberdades.

Neste ano, o governo Obama levou o primeiro, o segundo e o terceiro lugares.

O Campeão foi o Departamento de Estado, por sua política de “incansável e agressiva perseguição de indivíduos que vazaram informações do governo.”

Foram citadas como justificações a condenação de Chelsea Manning a 35 anos de prisão e a perseguição internacional a Edward Snowden – ambos por revelações de fatos que deixavam mal o governo dos EUA.

O texto do Centro Jefferson diz mais a respeito: “De fato, a atual administração perseguiu e processou mais gente por vazamentos sob o Ato de Espionagem do que todas as anteriores administrações somadas.”

Preocupou-se mais do que todos os demais presidentes em esconder seus atos, o que é intrigante, uma vez Obama havia prometido fazer o governo mais transparente da história americana.

O Centro do Jefferson tem mais a dizer: “Admite-se que encontrar  o balanço certo entre liberdade de imprensa e aplicação efetiva da lei é um trabalho difícil, particularmente quando o crime é vazar informações confidenciais.O governo certamente tem um interesse legítimo em identificar quem revelou essas informações.No entanto, se consideramos que a cobertura jornalística agressiva das atividades governamentais é da essência da democracia, estas posturas (a abundância  de processos criminais dos informantes) inclinam a balança pesadamente em favor do governo.”

O resultado é que os membros da administração relutam em prestar informações aos jornalistas, temendo que acabem sejam rotuladas como confidenciais e eles se vejam processados por crimes contra a Lei de Espionagem.

Por estas e por outras, considera-se que Obama tratou a imprensa de uma maneira jamais vista desde os tempos de Richard Nixon.

Nem Bush se comparou a ele.

A propósito: em segundo e terceiro lugares ficaram o Escritório de Imprensa da Casa Branca e a NSA – agência de vigilância das comunicações, m ais exatamente de espionagem dos telefones e computadores de muitos milhões de pessoas nos EUA e no resto do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.