segunda-feira, 21 de abril de 2014

Laerte Braga:O STF hoje é parte de um processo de golpe branco

Via Jornal O Rebate

Laerte Braga

Não cabe ao STF decidir sobre competência de CPIs. A decisão é do próprio Congresso, seja o Senado ou a Câmara. O STF hoje é parte de um processo de golpe branco e um fato desses é interferência de um poder noutro poder, naquilo que é competência, aí sim, do Legislativo e não do Judiciário. Aécio não foi Senado para o depoimento da presidente da PETROBRAS por não ter como debater sem a irmã por pe...rto a orientá-lo, é um desorientado e por estar de ressaca da farra de domingo. O ex-governador de Minas lembra um ex-prefeito de Juiz de Fora que apareceu até no JORNAL NACIONAL, cercado de notas de cinquenta e cem, propina paga por empresários de transportes. Com o ex-governador rola propina de todos os lados. Pimenta da Veiga e Antônio Anastasia, seus asseclas e o tal Pinto Coelho que diz que governa Minas, esses catam as migalhas, mas migalhas de alto valor. Proporcionais ao caráter de cada um. O de Pimenta vale 300 mil reais

O prefeito de Carlos Barbosa, RS, manifestou-se "preocupado" com o que chamou de "infestação de baianos e goianos" em sua cidade. Pediu desculpas. O fez exclusivamente pela reação negativa as suas palavras preconceituosas. O velho preconceito contra nordestinos, os do centro-oeste e os do norte, começa a vir a tona outra vez. Um jornalista dinamarquês que viria cobrir a copa em Fortaleza desistiu,... pois "viu o que gringo não quer ver". Preconceito puro. Fortaleza é uma das mais belas cidades do País e o cearense um povo acolhedor, como o baiano, o goiano. Se formos fundo nessa história veremos que é preconceito padrão branco ariano e deve ser repelido com todas as forças. Na Dinamarca, para repetir Shakespeare, "há algo de podre no reino da Dinamarca". E sempre.

Minas Gerais é um estado que tem vivido de ficção vendida pelos governos Aécio Neves, Antônio Anastasia e agora essa figura medíocre Pinto Coelho. A figura em questão deu uma entrevista afirmando que vai dar "prosseguimento" às obras de Anastasia. Quais? Festas pomposas e medievais no Palácio das Mangabeiras? Abandono da saúde, da educação? Anastasia em si já e ridículo, uma figura que Émile Zola ...descreveria como "roliça e pegajosa". Untuosa. Vejamos o caso da estatal CEMIG, a que fornece vales refeições de um mil e duzentos reais a seus diretores, proporcionando lautos banquetes no almoço, preparados por um chef e cobrando preços escorchantes nas tarifas de energia elétrica, sem falar na corrupção que financia campanhas tucanas. É interessante que conseguem vender a irrealidade, um estado que não existe, uma saúde que é o caos, uma educação perdida no abandono total e um caos nos serviços públicos, sem que sejam incomodados pela mídia mineira e nacional e ainda colocam na cadeia quem ousa denunciar qualquer irregularidade. Transformam o governo, a máquina, em aparelho de campanha eleitoral, o que vale uma representação junto à Justiça Eleitoral, mas será que prosperará, ou como no caso Eduardo Azeredo vai para as calendas? Pimenta da Veiga governador? Ou Marcus Pestana? Num estado que já teve governadores do porte de Olegário Maciel, Antônio Carlos, Milton Campos, Juscelino, Clóvis Salgado, Israel Pinheiro, Bias Fortes, Tancredo Neves, sem mérito de partido ou opinião, mas de grandeza política indiscutível. É o cúmulo da esculhambação, da política rasteira dos filhos, dos netos, que dilapidam o patrimônio construído pelos pais e avós. Tancredo tinha horror a FHC e o considerava um profeta da presunção. Aécio lambe-lhe os sapatos italianos. Outro aspecto que é interessante é como as autoridades policiais não chegam ao óbvio, à corrupção à luz do dia. Tribunal de Contas? Isso existe? O caso do helicóptero de Zezé Perrela, um marginal, é escandaloso, ainda que tenham sido detidos, o piloto e o co piloto, no Espírito Santo (mas lá tem justiça, ou é igual aqui?). E Aécio, toxicômano e alcoólatra, falando em "medidas impopulares" para um público seleto de banqueiros, empresários e latifundiários e dizendo que o trabalhador vota "pelo estômago". Cínico, desprezível ao lado de Perrela logo depois dos 450 quilos de cocaína apreendidos no tal helicóptero. Será que correu por pura solidariedade ou por ter recebido um aviso do tipo, me salva do contrário abro o bico? É a lei de bandidos baixos, da pior espécie. Uma assembleia cuja maioria é de parvos, incapaz de uma CPI para apurar a corrupção na CEMIG, que não aderiu ao programa de luz a preços baixos do governo federal. Minas está no fundo do poço é hora dos mineiros resgatarem a sua história, antes que esse fundo seja maior e o resgate não seja possível. Essa gente não pensa em Minas, usa Minas e ludibria os mineiros.

A autoridade policial cabe zelar pela segurança pública, em estrito e absoluto respeito a lei, investigar delitos, funções enfim previstas na Constituição e leis ordinárias ou mesmo complementares. A autoridade judiciária cabe analisar a partir de denúncias do ministério público provas, ouvir vítimas, testemunhas, determinar perícias, tudo também previsto em códigos específicos, que são leis. Se h...á uma infringência a lei por uma dessas partes do Estado, há um crime que pode ser de natureza administrativa até, mas também não. Pode ser tortura e tortura existe em várias modalidades. digamos assim. O repertório é farto. O que acontece em relação ao ex-ministro José Dirceu é uma forma de tortura. Seus direitos desrespeitados, a lei posta a margem, todo um processo em que o ódio se mistura a mediocridade e a violência. E justo pelo presidente da suposta mais alta corte de justiça do país, o STF. No mundo de hoje, a despeito da violência e da barbárie do capitalismo, do nazi/sionismo, existem leis, organizações internacionais que precisam tomar amplo conhecimento desses fatos todos, pois o que se tenta é sangrar uma liderança política íntegra ("não tenho provas para condenar José Dirceu, mas a literatura jurídica me permite condená-lo" - "ministra" Rosa Weber), atingir objetivos políticos nas eleições de outubro e isso é grave, gravíssimo. Há que se reagir com muita força, dentro da lei, mas com muita força, do contrário começa a ter sentido aquele poema de primeiro uma flor e vai por aí afora. O mesmo se aplica ao caso de José Genoíno.

O ódio, bem remunerado, de Joaquim Barbosa vai aos poucos se voltando contra ele próprio. O presidente do STF causa engulhos e os próprios aliados começam a bani-lo, percebendo que no duro mesmo quer ser é rei do Brasil.

Um dos grandes entraves do Brasil é a classe média. Costuma usar vestidos ou calças com a etiqueta para fora mostrando o "poder". Faz do automóvel um instrumento de exibição e usa o veículo pelas ruas como se essas fossem suas. Lê VEJA, não perde uma edição do JORNAL NACIONAL e acha que é bem informada. Não tem a menor idéia dos quatro pontos cardeais, crê, piamente, que Joaquim Barbosa é um suje...ito sério e acha que Aécio Neves é o homem talhado para ser presidente. Nem de clube de futebol de várzea, que aliás merece respeito, é o futebol do trabalhador. Essa história da promotora que foi orientanda de Joaquim Barbosa em sua tese de mestrado é escandalosa. Repulsiva. A nomeação de filhas de ministros do STF para funções de desembargadoras é nepotismo disfarçado, até porque as que foram nomeadas não preenchiam os requisitos, enfim, o Judiciário, a despeito da presença de uma minoria de magistrados sérios, é hoje o antro das grandes chicanas nacionais, o instrumento das tentativas de golpe branco Está falido, não vai ser recuperado com reformas ditas saneadoras. É interesse dos donos, banqueiros, latifundiários, grandes empresários, que continue assim. Reagir é preciso, antes que atolem o País numa situação de gravidade tal que o processo democrático se veja em risco e olha que o nosso processo democrático é tutelado, ou seja, adjetivado, fugindo ao conceito de Sobral Pinto que "democracia não é como peru, a moda, a brasileira. Ou é democracia, ou não é".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.