quarta-feira, 16 de abril de 2014

AGU entra com representação contra promotora-espiã. Demorou e é muito pouco

Sanguessugado do Tijolaço

Fernando Brito

espionagem

Finalmente, alguma – e tímida – reação do Governo contra a integrante do Ministério Público Federal que, ardilosamente, tentou levar o Supremo Tribunal Federal a quebrar o sigilo telefônico  do  Palácio do Planalto.

A Advocacia-Geral da União entrou hoje  com uma reclamação na Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público contra a promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa, que colocou as coordenadas geográficas da sede do Governo brasileiro num pedido para investigar supostas ligações de José Dirceu para a Bahia.

Muito embora isso seja pouco e a iniciativa, diante de evidências de uma violação da lei, devesse ter partido do próprio Ministério Público, isso vai permitir avançar neste caso.

Será que a promotora “errou” por 17 km de distância e digitou, por acaso, graus, minutos, segundos e centésimos de segundo exatamente com a localização do Planalto?

Será que não teve sequer o receio de envolver o Supremo numa violação da lei, ou haveria, como ponderou Janio de Freitas, ciência disso ali?

E o vigoroso Ministério da Justiça, diante disso, o que fez?

Chega a dar vergonha das instituições deste país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.