sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Triste Papel

Sanguessugado do Gilvan Rocha

           

Na metade da década de vinte do século passado, consumou-se a derrota da revolução socialista em escala mundial. A contrarrevolução se estendeu por todo o universo, inclusive fez-se presente, após sangrentos embates, na recém surgida URSS.

             O imperialismo foi vitorioso e, ao lado desse fato, prosperou a contrarrevolução travestida de esquerda sob o rótulo do “marxismo-leninismo”. Braço dessa política contrarrevolucionária foi a Terceira Internacional e, em menor escala, o trotskismo. É necessário deixar claro que, Stálin e Trotsky, depois da derrota da revolução, constituíram-se em produto dessa derrota, cujo resultado apresenta-se hoje, retratado no extremo estado de pauperização do movimento socialista e na hegemonia política do capitalismo em escala mundial.

            Para a sobrevivência do capitalismo, concorreram e concorrem a direita explícita e as posturas assumidas pelo stalinismo-trotskismo. Proclamando a falsa ideia de que existia um mundo socialista, representado por Estados policiais, que não passavam dos limites do capitalismo de Estado e que serviam tão somente às castas burocráticas incrustadas nesses países, a esquerda direitosa, além de assassinar o socialismo científico, promovendo sérias distorções conceituais, contribuiu para difundir lendas e fraudes, nada convenientes à causa revolucionária.

             Já se disse que revolucionária é a verdade e que seria com ela que deveríamos ter todo o compromisso e nunca propagar tantas mentiras políticas que só serviram e servem a manutenção da ordem econômica e social vigente.

            Assim sendo, esses senhores da esquerda direitosa, sob o manto do “marxismo-leninismo” ou do “marxismo-leninismo-trotskismo” têm prestado um triste papel para manter a ordem vigente, que nos arrasta para a tragédia total.

            Recentemente, a Coréia do Norte, Estado extremamente policial, calcado no capitalismo de Estado, lançou ao espaço um foguete de longo alcance e essa proeza foi festejada por setores da esquerda direitosa, como um ato a serviço da causa socialista, o que é uma monumental mentira. Não deveríamos ter nunca compromisso com a fraude, entretanto, essa atitude comprometida com a mentira vem se arrastando por esses longos anos de stalinismo-trotskismo em seu triste papel.

2 comentários:

  1. Então, tá, Gilson Rocha.
    1. Não exagere, a contrarrevolução se estendeu no máximo por este nosso planeta terra, jamais pelo universo.
    2. Explique-nos e identifique precisamente o que é "esquerda direitosa" e “marxismo-leninismo-trotskismo” e nos aponte as alternativas.
    3. Gilvan Rocha é gente boa mas perdeu o juízo político. Faz tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Cequinel,
      Notei um certo sarcasmo salpicado de ironia com o meu nome. Está relevado em nome do nosso ateísmo militante, não confundir com meliante, abençoado e ungido por Charles Darwin.
      Questão número 2 - PT (nunca os banqueiros e empresários ganharam tanto como no meu governo-Lula), PC do B e PSB podem ser não podem ser chamados de esquerda, aquela que privilegia o trabalhador e não o capital, covenhamos. Também posso recorrer ao exemplo da social-democracia europeia que tanto se contorceu que hoje é pau-mandado da direita trevosa, como você gosta de dizer.
      Gilvan Rocha é raiz.

      Excluir

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.