quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Maestro Israel de França é espancado na Espanha

Sanguessugado  do Nassif

Nilva de Souza

Maestro pernambucano Israel de França é espancado na Espanha

Ato aconteceu na noite desse domingo (23), quando ele caminhava com um amigo pelas ruas de Zaidin, em Granada.

Conhecido pela história de superação e também por ter sido vítima de um ato racista que repercutiu internacionalmente na década de 1980, o maestro pernambucano Israel de França foi novamente vítima de uma agressão, na noite desse domingo (23), na Espanha. Maestro e violinista da Orquestra de Camara Ciudad de Granada, no país europeu, ele foi espancado por policiais do Corpo Nacional de Polícia da Espanha, quando caminhava por uma das ruas do bairro de Zaidin, onde mora.

Segundo informações repassadas por amigos de Israel, ele estava caminhando com um amigo quando foi levado para dentro de um edifício e espancado. O caso foi relatado pelo próprio violinista, que está em casa, recuperando-se. De acordo com ele, não houve motivo para a ação. O homem que estava com Israel na rua pemaneceu do lado de fora do prédio, por ordem dos policiais.

Nascido em Pernambuco, Israel foi criado no bairro de Peixinhos, em Olinda, e mora há 23 anos na Espanha. Ele ficou famoso depois de protagonizar, ainda criança, um episódio de racismo que chocou o país. Ele foi detido quando corria nas proximidades do Parque 13 de Maio, com o violino na mão, para não se atrasar para uma apresentação, e só foi liberado depois de tocar o instrumento para provar que era realmente músico.

Segundo os amigos, Israel ainda está muito abalado e passou a maior parte do dia em casa, chorando. Ele esteve no estado em agosto, participando do Festival de Música Erudita do Recife.

2 comentários:

  1. Infelizmente ainda existe pessoas desse tipo, capazes de cometer atos tão hediondos. Racismo é crime e contra todas as leis de Deus. É isso que dá
    ir para países em busca de crescimento profissional mas seu real valor como ser humano as pessoas não reconhece. Isso é porque o nosso país não dá valor aos seus profissionais. Maestro tenha fé e procure seus direitos, você é uma pessoa especial, não merece tá passando por isso de novo.

    ResponderExcluir
  2. Vamos fazer uma corrente nacional de apoio e solidariedade para o Israel de França, contra este país racista que é a Espanha,através das redes social, para fazê-los saber que o povo brasileiro merece respeito. Fora espanhois! Respeito ao povo brasileiro no exterior!

    ResponderExcluir

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.