sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Jagunço recebe arma, celular e R$600 para matar líderes Kaiowá

Via Consciência.net

Na manhã desta quarta-feira, 27, lideranças indígenas da Aldeia Takuara, município de Juti,  fizeram um Boletim de Ocorrência na cidade de Caarapó denunciando a contratação de um jagunço a mando do fazendeiro Jacinto Honório da Silva Filho. Segundo informações, o jagunço com nome de Moacir recebeu uma arma de fogo, um celular e a quantia de R$ 600 reais dado por Jacintinho, filho do fazendeiro Jacinto. O objetivo da contratação é assasinar as lideranças Ládio Véron, Valdelice Véron e Arlindo Véron, líderes indígenas da Aldeia Takuara.  Segundo os indígenas, a FUNAI foi notificada, porém nada foi feito até o exato momento.  O clima é de tensão na terra indígena.

Em 13 de janeiro de 2003, o Cacique Marco Véron foi brutalmente assasinado na terra indígena Takuara a mando do fazendeiro Jacinto Honório da Silva Filho. Na ocasião, os jagunços tentaram atear fogo no Cacique Ládio Véron, filho de Marco, porém o líder indígena conseguiu fugir. Marco Véron morreu por traumatismo craniano.

O Cacique Ládio Véron é uma das lideranças Guarani e Kaiowá  que está no Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos Ameaçados de Morte, porém as ameaças, emboscadas e contratações de jagunços continuam gradativamente entre os municípios de Caraapó e Juti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.