sexta-feira, 29 de julho de 2011

Fatos em foco – Hamilton Octavio de Souza

Via Brasil de Fato

O governo continua hesitante na regulação do etanol, especialmente para garantir o fornecimento do combustível durante o ano todo

 Hamilton Octavio de Souza

Sem etanol

O governo continua hesitante na regulação do etanol, especialmente para garantir o fornecimento do combustível durante o ano todo. Os usineiros não querem arcar com os custos de armazenamento na entressafra. Se não houver acordo, o produto deverá faltar no mercado nos mês de dezembro, janeiro e fevereiro. De novo os preços vão subir e o ônus recairá – mais uma vez – sobre os consumidores. Por que não prevalece o interesse da maioria?

Promessas

Na campanha eleitoral de 2010, os setores da esquerda que apoiaram a candidata Dilma Rousseff contaram com alguns avanços políticos prometidos pelo PT, entre os quais o fim do fator previdenciário para cálculo da aposentadoria, a constituição da Comissão da Verdade, a regulação da comunicação social conforme propostas da Confecom, a reforma política para aprofundar a democracia. Está tudo no banho-maria.

Comparação – 1

O programa Bolsa Família atende hoje 12,9 milhões de famílias em todo o Brasil, com valores que variam de R$ 32 a R$ 242 por família, um gasto total de R$ 1,4 bilhão por mês. De janeiro a junho deste ano, o Tesouro Nacional pagou R$ 98 bilhões de juros da dívida pública para um seleto grupo de capitalistas que lucra com os títulos públicos. O que é transferido para essa minoria rica é 11 vezes superior ao maior programa social do governo. Pode?

Comparação – 2

O orçamento da União para 2011, aprovado pelo Congresso Nacional em 22 de dezembro de 2010, fixou o total de despesas em R$ 2 trilhões, sendo quase R$ 1,4 trilhão para custeio e investimento, e pouco mais de R$ 600 bilhões para a rolagem da dívida. Em janeiro, a dívida pública estava em 40,1% do PIB, equivalente a R$ 1,4 trilhão. No final de junho, a dívida pública havia saltado para R$ 1,8 trilhão – graças à contínua elevação da taxa de juros.

Ética suprema

O ministro José Antonio Dias Toffoli, do STF, considerou assunto “particular” o fato de ter ficado hospedado na Itália por conta de advogado que é defensor de réus em dois processos em tramitação no STF, os quais devem ser relatados pelo próprio ministro. Se não se declarar eticamente impedido de participar desses julgamentos, terá condições de atuar com independência diante do amigo que patrocinou a viagem “particular”?

Risco ecológico

Estudos encomendados pela ONU indicam que as altas temperaturas no verão do hemisfério Norte e o aumento dos incêndios estão relacionados com o ressecamento de várias regiões do planeta, o que deve agravar a crise de escassez de água. A previsão desses estudos é que a demanda mundial por água cresça em dois terços até 2025, e as cidades que não se prepararem para assegurar o abastecimento podem se tornar fantasmas.

Envenenamento

O Comitê do Rio de Janeiro da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela Vida lançou dia 25, no Teatro Casa Grande, o documentário “O veneno está na mesa”, dirigido pelo cineasta carioca Silvio Tendler. O filme mostra que todos nós estamos expostos ao emprego de agrotóxicos na produção de alimentos, e que o atual modelo de agricultura beneficia a indústria do veneno em detrimento da saúde da população.

Injustiça togada

De acordo com a Comissão Pastoral da Terra de Marabá, no Pará, após a conclusão das investigações e a identificação dos assassinos do casal de agricultores José Claudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo Silva, o juiz Murilo Lemos Simão, de Marabá, negou dois pedidos de prisão encaminhados pela polícia, com aval do Ministério Público, facilitando assim a fuga dos acusados. Esse é o papel da Justiça?

Questão fiscal

Grupos empresariais e a grande mídia neoliberal costumam atacar o sistema público de previdência como sendo um setor deficitário que onera os cofres públicos. Mas não esclarecem que a maior parte do chamado déficit da previdência, no Brasil, decorre da renúncia fiscal no recolhimento das empresas rurais de exportação, das empresas de informática e das pequenas e médias empresas. Basta acabar com as isenções e privilégios!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.