terça-feira, 26 de julho de 2011

Do diário-manifesto do doido da Noruega (ele fala do Brasil)

Via redecastorphoto

Comentário resultado de discussão dos tradutores, num botequim, da Vila Vudu

O documento escrito pelo doido norueguês pode ser baixado, em PDF: 2083 – A European Declaration of Independence, de Andrew Berwick (na íntegra). Mas não é preciso baixar nem ler nada. Zilhões de páginas de fascistas brasileiros dizem praticamente a mesma coisa, com diferenças superficiais (e Jair Bolsonaro e William Waack dizem de viva voz).

Num dos excertos que aí vão traduzidos, por exemplo, o Brasil aparece como exemplo de “bastardização” – o que é imagem especular dos discursos “críticos” do Elio Gaspari na Folha de S.Paulo, em que o presidente Lula é dito, com escárnio diário, “nosso guia” (por exemplo, em http://titaferreira.multiply.com/calendar/item/10382 /assinantes). Mais um fascista, afinal desmascarado por outro, que expõe, sem firulas metidas a “jornalísticas”, o ódio racista e de classe da canalha brasileira, contra o metalúrgico que os derrotou (3 vezes, só até agora).

Noutro, o doido norueguês defende as florestas exatamente como Marina Silva e outros ONGo-fundamentalistas metidos a “éticos” e a espertinhos (que são fascistas, a gente já intuía; agora, tá provado: são fascistas sinceros).

O blog norte-americano The anwanted blog em Yet another nutty “Manifesto fez a seleção de excertos que aí vai. Não é absolutamente necessário ler a coisa toda, mas talvez interesse conhecer o tom.

Traduzimos a seleção do blog acima, à guisa de informação.

“Informação”, como se sabe, cada um deve construir a sua e evidentemente ninguém precisa de informação construída seja pelo doido da Noruega seja pelo grupo GAFE (Globo, Abril, Folha, Estadão), doidos do Brasil.

Então, aí fica isso, como mais um alerta contra os ecologistas fundamentalistas, os “éticos” em geral, os antimarxistas, o Elio Gaspari e a Folha de S.Paulo.

A parte, do discurso do doido da Noruega que tem a ver com o antimarxismo obcecado... não se comenta: também tá cheio, por aqui, de doidos parecidos. Alguns são professores-titulares de Ética na Unicamp.

----------------------------------------------------------------------

De 2083 – A European Declaration of Independence, de Andrew Berwick

Página 1.284:

3.84 Cavaleiros Templários e etnocentrismo

Os Cavaleiros Templários têm três funções básicas:

– Agir como Movimento Cruzado paneuropeu, para banir o Islã da Europa;

– Agir como um Movimento dos Direitos Indígenas, para servir aos interesses de grupos étnicos europeus e para destruir o marxismo cultural/multiculturalismo:

– Agir como um Tribunal de Crimes de Guerra [por que será que, aí, pensei IMEDIATAMENTE no Perval Meneira?].

Página 1.287:

“Os regimes marxistas na Europa asseguram privilégios, ou liberalizaram completamente as leis da biotecnologia. Têm de encorajar e mesmo patrocinar diretamente programas repro-genéticos em nível privado e/ou estatal, que oferecem clínicas de reprodução que se focam estritamente em genótipos indígenas de fontes puras (genótipos nórdicos puros, não diluídos, com 95-00% de pureza) encontrados no norte da Suécia e em outras áreas onde são encontráveis. Os regimes marxistas europeus jamais permitirão ou contribuirão para isso, o que só deixa duas opções:

Tradicionalistas/conservadores/nacionalistas, em cada país europeu devem receber reservas onde possam ser autônomos (controle político) como os nativos da América do Norte depois de derrotados pelo exército dos EUA. Isso ainda não é aceitável para grande maioria de conservadores, mas esperamos derrotar os regimes marxistas culturais da Europa dentro de 70 anos. A terceira opção pode ser delineada nos seguintes termos:

Os conservadores devem assumir o poder político e militar mediante uma combinação de luta armada e luta democrática dentro de 70 anos e implementar a política acima. A alternativa é continuar o modelo de bastardização, semelhante ao modelo brasileiro, onde se estabeleceu (devido à revolução marxista brasileira) um cadinho em que se misturaram europeus, asiáticos e africanos.

Página 1.289:

Sou extremamente orgulhoso de meu grupo étnico. Noruegueses, que são tribo norte-germânica.

[Seguem-se várias páginas contra “mistura racial”]

Página 1.338:

– Todos os países do 2º e do 3º mundo (com taxas de natalidade superiores a 2,1) devem implementar políticas de filho único até que se estabilizem em face das perspectivas financeiras e do superconsumo, salvando suas florestas etc.;

– Reduzir o consumo global, mediante políticas protecionistas

– Todas as companhias globais serão nacionalizadas.

Página 1.341:

A população de nosso planeta não deve exceder 3 bilhões de indivíduos; portanto, devem-se implementar políticas radicais (hoje, somos mais de 6,8 bilhões).

Página 1.448: Deportar todos os muçulmanos

Página 1.454:

Marxistas (todas as categorias de traidores A e B) não terão misericórdia. Devem ser executados pelos crimes de guerra listados no item 1-8.

Página 1.475 (e várias seguintes): a justificativa cristã para uma renovada Cruzada para cristianizar a Euroopa e expulsar os muçulmanos.

Páginas 1.574-1.639: [Registro, dia a dia dos esforços para obter armas e preparar explosivos. A última entrada é do dia 21 de julho. Estou pesquisando essa parte. Até agora não encontrei nenhuma pista do que o homem planejava fazer, mas deve haver alguma coisa.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.