terça-feira, 31 de agosto de 2010

Dilma desmente Mitômano

Sanguessugado do Tijolaço

Toma, Serra, pra deixar de ser falso

Dessa eu gostei. Ontem, com os dados da Prefeitura de São Paulo, eu já havia mostrado que José Serra mentia descaradamente ao dizer que as obras do PAC nas comunidade de Paraísópolis e Heliópolis, em São Paulo.
Hoje, na entrevista coletiva que deu em São Paulo, Dilma apresentou os convênios relativos as duas obras. A narrativa, deliciosa, é do repórter Cláudio Leal, do Terra:
“Serra a acusou de “propaganda enganosa” no horário eleitoral, por ter apresentado a urbanização das duas comunidades. “O governo federal anunciou que o Lula vai a Paraisópolis inaugurar. Inaugurar o quê? Lá, tem um conjunto habitacional que foi feito pelo município. Tem um dinheiro federal lá, de 20% a 30% (…) Depois vai para a televisão e não dá ideia de quem está fazendo aquilo”, atacou o candidato tucano.
Auxiliada por papéis, Dilma contestou o rival e listou os investimentos federais nas obras de urbanização dos bairros pobres. Em 19 de dezembro de 2007, o contrato de Heliópolis. Segundo a petista, 40% das obras são tocadas pela Prefeitura de São Paulo; dos R$ 203 milhões investidos, R$ 148,4 milhões são provenientes dos cofres federais, “para 1.427 novas moradias e para recuperar 1.343 casas”. Há ainda trabalhos de organização fundiária, pavimentação e saneamento.
Dilma vira a folha. Agora, os dois contratos de Paraisópolis, assinados em 26 de dezembro de 2007. No primeiro, com a prefeitura, do total de R$ 238,2 milhões, R$ 106,3 milhões vêm do governo federal. No segundo contrato, com o governo do Estado – Dilma enfatiza: “do ex-governador Serra” -, dos R$ 80,6 milhões aplicados na construção de moradias, R$ 56,6 milhões são federais.
“Respondi a uma crítica e estou respondendo”, disse Dilma, no contra-ataque. Segundo ela, a população de Heliópolis e Paraisópolis não pensa igual a Serra em relação à origem dos recursos. “

Como dizia aquela propaganda da Parmalat: tomou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.