segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Carta das Mães de Maio aos blogueiros

Via Mães de Maio

image

Carta das Mães de Maio aos blogueiros


Nós, Mães de Maio, escrevemos esta mensagem de agradecimento e reflexão sobre o I Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas.
Em primeiro lugar, com muito respeito e humildade que é o nosso proceder, agradecemos a confiança pelo convite e a calorosa recepção que tivemos de todas e todos os participantes do encontro. Estamos ainda engatinhando nessa ferramenta que é a blogosfera, a qual acreditamos ser bastante importante para os movimentos sociais e para as comunidades pobres de todo o país. Com ela, já conseguimos romper uma série de barreiras que sempre nos foram colocadas pelos poderosos e pelos detentores do monopólio da comunicação, esta minoria rica e geralmente branca que sempre bloqueou as nossas falas e as nossas idéias de circularem na esfera pública. Porém, há muito o quê avançar...
Nosso cotidiano, que é o cotidiano da maioria da população, é marcado pelo massacre que o capitalismo sempre fez contra nós: desde as senzalas onde nossos irmãos negros, negras e indígenas eram explorados até a morte; até os tempos modernos, quando a chibata se transformou na ditadura do dinheiro e na farda da polícia. Sempre nos foram renegados todos os direitos fundamentais que qualquer ser humano deveria ter assegurado: a começar pelo direito à vida, o direito de ir e vir, o direito à saúde, à moradia, à educação, à cultura e à comunicação livre.
Nós lutamos por igualdade de oportunidades, por justiça e, sobretudo, pelo direito de pensar e viver em liberdade. Sabemos que a democracia que nós vivemos é uma verdadeira farsa, e nós apenas exigimos que ela seja ralizada plenamente.
Sabemos que temos um longo caminho para construir todas as transformações que o povo pobre e negro das periferias tanto precisam. Mesmo na blogosfera, há muito o quê se avançar no sentido de garantir o pleno acesso à internet e a todas as ferramentas que ela possibilita, visando fortalecer verdadeiros canais de comunicação da periferia com a sociedade como um todo, no país e no mundo. Sem o poder de voz, de ação e de decisão da maioria, não haverá nunca uma transformação igualitária e justa, inspirada pela liberdade.
Como propostas imediatas, três das nossas principais bandeiras em relação à blogosfera são:
- Acesso: A garantia do acesso gratuito à internet e à banda larga para toda a população brasileira, principalmente a população pobre.
- Formação: A estruturação de uma rede de oficinas e de formação, crítica e gratuita, que possa efetivamente democratizar a utilização dessas ferramentas (como blogs, sites etc). Orientando também sobre todos os perigos que a mesma blogosfera pode significar.
- Solidariedade: Por fim, apoiamos a criação de uma verdadeira rede de blogs, sites, de apoio jurídico gratuito e de apoio material solidário para os efetivos defensores da democracia e da liberdade, visando nos proteger a todos – principalmente quem se encontra mais ameaçado - frente a criminalização dos trabalhadores pobres e dos movimentos sociais. Se a classe trabalhadora não formos solidários entre nós mesmos, ninguém será por nós!
Apesar de todo o significado do encontro de blogueiros e de várias de seuas propostas, sabemos que todas estas medidas necessárias e urgentes não podem criar a impressão e a euforia de que a blogosfera vá substituir a organização popular e a presença cotidiana nas ruas. Sabemos que uma das principais táticas dos poderosos é incentivar que as pessoas fiquem cada vez mais isoladas entre si, dentro de suas casas, reféns do medo do contato direto nas ruas, onde a vida realmente acontece.
Este esvaziamento de algumas pessoas das ruas (enquanto elas seguem sendo tomadas por pessoas pobre como nós, descartadas pelo capitalismo, e sem qualquer perspectiva de vida digna), por maiores que sejam as ações virtuais, gera a reprodução das desigualdades, das injustiças e da falta de liberdade efetiva no cotidano. Para nós da periferia, isso significa a ampliação da estigmatização, do terror e da impunidade perpetuada contra nós ao longo de todo a história. As ruas passam a ser apenas espaços de passagem, de compras e da violência contra nós que as ocupamos.
Por fim, continuamos repudiando as políticas e práticas de segurança pública no Estado de São Paulo. O troféu “O Corvo”, que foi dado à Judith Brito como uma das principais representantes da “ditadura da mídia” em nosso país, deveria ser dado também a todos Os Corvos que foram e são os responsáveis diretos pelos crimes de maio de 2006 e pelos massacres cotidianos nas periferias de todo o país.
De nossa parte, convocamos a todas e todos os blogueiros que participaram do encontro, que se somem na blogosfera e nas ruas, na luta pela verdade e por justiça referente aos crimes de maio de 2006 e a todos os crimes similares que representam uma verdadeira “ditadura continuada” em plena era da democracia brasileira. Sem pressão popular não haverá os desarquivamentos, os julgamentos e as devidas punições de todos os agentes de estado responsáveis pelas matanças de ontem e de hoje!
Seguiremos lutando cotidianamente, nas ruas, na internet e aonde for, para que o amanhã seja livre! Muito obrigada a todas e todos pelo respeito, pelo carinho e pelo fortalecimento de nossa Luta! Esperamos que, cada vez mais, ela seja uma Luta de todos nós! Seguiremos atentas, conectadas e prontas para lutar. Viva a pressão popular!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são como afagos no ego de qualquer blogueiro e funcionam como incentivo e, às vezes, como reconhecimento. São, portanto muito bem vindos, desde que resvestidos de civilidade e desnudos de ofensas pessoais.
As críticas, mais do que os afagos, são benvindas.